Casa Guilherme oferece curso sobre ficção científica na literatura e no cinema

Curso gratuito em São Paulo

Casa Guilherme oferece curso sobre ficção científica na literatura e no cinema
Mortos que matam – Divulgação

Quem gosta de ficção científica não pode perder o curso gratuito que a Casa Guilherme de Almeida – integrante da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis – organizou no mês de fevereiro. Ficção científica nos anos 1960: da literatura ao cinema acontecerá entre os dias 11 e 15, das 19h às 21h, e no dia 16, das 14h às 18h. Para participar basta se inscrever pelo site do museu.

A proposta das aulas é incentivar a reflexão sobre as adaptações de importantes obras da literatura sci-fi para as telas nos anos 1960. O curso busca identificar as escolhas estéticas adotadas nas transposições desses trabalhos e também analisar o contexto sócio-histórico-cultural da época das obras. No último dia, o filme Mortos que matam(1964), de Ubaldo Ragona e Sidney Salkow, será exibido para permear a discussão. Fernando Brito e Raphael Cubakowics, ambos críticos de cinema e curadores na Versátil Home Vídeo, comandarão os debates.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA
Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS
A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO:
Ficção científica nos anos 1960: da literatura ao cinema
Segunda à sexta-feira, de 11 a 15/02 – das 19h às 21h
Sábado, 16/02 – das 14h às 18h

Casa Guilherme de Almeida
Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Perdizes – São Paulo
Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes
Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391
Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Adagio: você sonha…nós compartilhamos

Imagine se os seus sonhos pudessem virar posts nas redes sociais. Descubra como ser um “dreamer” de sucesso.

Adagio

Uma mistura de ficção científica e drama para discutir o impacto das redes sociais e vidas compartilhadas na nossa geração e gerações futuras, assim o escritor Felipe Cagno define sua graphic novel e novo título da AVEC editora, “Adagio”, que chega às maiores livrarias do Brasil, agora em janeiro de 2019.

A obra desenhada pelos artistas Sara Prado, Natália Marque e Brão Barbosa traz a seguinte sinopse: Em 2067 um aplicativo/rede social chamado ADAGIO permite que os usuários postem seus sonhos online – ao vivo ou gravados.

É o fim do entretenimento produzido como conhecemos hoje. Não existem mais filmes, séries de TV ou vídeos online, agora as pessoas assistem apenas os sonhos umas das outras…

Quando a jovem Kaya Muniz experimenta uma droga sintética e faz uma live do seu primeiro pesadelo lúcido, ela cria um novo gênero dentro do aplicativo – o terror.

“Adagio nasceu da minha vontade de poder compartilhar meus sonhos com pessoas próximas, eu sempre lembro muito bem dos meus sonhos pela manhã e eles ficam comigo ao longo do dia.  Além disso, com o uso extremo das redes sociais hoje em dia onde tudo é compartilhado, nada mais natural que o próximo passo fosse compartilhar aquilo que ainda temos de mais íntimo: nossos sonhos”, explica Felipe.

Após essa ideia inicial, ele convidou o Brão para vir fazer as sequências de sonho já que este desenhista é reconhecido por sua arte lírica, abstrata e ao mesmo tempo convidativa, como define Felipe.

“Na falta de um elogio melhor, a arte dele sempre foi onírica. Como ponto de partida a pensar no impacto das redes sociais (tema bastante atual) comecei a criar a história de uma jovem que sonha em se tornar uma ‘dreamer’ famosa. Escuto muito de adolescentes que o sonho deles é se tornar ‘youtuber’ e queria trazer isso para a HQ”, adianta Felipe.

Adagio é uma obra cheia de camadas, com críticas e reflexões, e também recheada de referências.

Felipe afirma ter estudado filmes e os roteiros de filmes para desenvolver a graphic novel. Desde produções óbvias como “A Origem” e “Ghost In the Shell”, até outros títulos que podem parecer não ter nada a ver, mas conversam muito com o nosso produto final como “13 Reasons Why”, “La La Land” e “Entourage”.

Adagio está à venda nas principais livrarias de todo o Brasil. E também pode ser comprado na loja online da AVEC editora através deste link AQUI.

Novo lançamento da AVEC Editora, Vazio, é uma graphic novel sensível e sincera sobre depressão e ansiedade

Com uma temática bastante adulta, o trabalho de João Vitor Palermo provoca o leitor a aceitar o passado, seja positivo ou negativo.

Vazio

Um homem divorciado que, convivendo com a depressão e a ansiedade, possui uma vida miserável. Ele é assombrado pelo passado, está submerso em um poço de melancolia e desesperança do qual não consegue sair. Porém, após mais uma noite de insônia, ele começa a ter estranhas alucinações. Agora, diante desses devaneios, ele precisa encarar seus fantasmas. 

Esta é a premissa de Vazio, uma graphic novel de João Vitor Palermo que, neste mês, a AVEC editora traz às principais livrarias de todo o Brasil.

Segundo o autor, a história trata das dificuldades de aceitar o passado:

“E eu espero que ao terminar a leitura, o leitor entenda que a escolha certa sempre é a de seguir em frente e viver! ”

A ideia da criação desta obra começa por um processo criativo um “pouco bagunçado”, como define João Vitor. 

“A partir da ideia, que veio de coisas que vivi por conta da minha depressão e ansiedade, eu escrevi um roteiro simples, só com o mais importante. Durante a criação das páginas eu adicionei detalhes e cenas que enfatizam a personalidade e os problemas do personagem”.

Para ele, ler obras do Jeff Lemire e do Charles Burns foram essenciais para a criação do roteiro e estruturar a narrativa do quadrinho.

Vazio é uma graphic novel muito sensível e sincera. 

“Sinto que fiz um bom trabalho em transparecer meus sentimentos e espero que os leitores, ao imergirem no mundo do personagem, se identifiquem de alguma forma”, confessa João.

Se você se interessou pela obra, Vazio já está nas principais livrarias do Brasil. E também pode ser comprado na loja online da AVEC editora. Para fazer isso, basta clicar neste link AQUI.

Press release enviado por:
Vagner Abreu – assessor de imprensa, especialista em Marketing de conteúdo e CEO da Skalds – Comunicação e Assessoria de Imprensa Nerd. 

IV CINE HORROR

Cine Horror

A Mostra de Cinema CINE HORROR é uma mostra de cinema gratuita dedicada exclusivamente a filmes de gênero fantástico (horror, suspense, trash, b-movies, fantasia, ficção-científica e thrillers) realizada na cidade Salvador, estado da Bahia. A quarta edição ocorrerá de 17 a 27 de outubro de 2019 e exibindo obras audiovisuais contemporâneas e de resgate histórico ligadas às temáticas do gênero.

Inscrição:

Filmes Estrangeiros
As produções estrangeiras deverão possuir legendas em espanhol, português ou inglês.

Foreign Films
Foreign productions must have subtitles in Portuguese. Spanish or English subtitles in .SRT format to be translated.

Os filmes em mídia física, não serão devolvidos, e podem ser enviados para:
A/C Val Oliveira
Setor F, Caminho 08, nº 31, Mussurunga 1
1490-206 – Salvador – Bahia – Brasil.

O Resultado
A lista dos filmes selecionados para o festival será divulgada no site do festival após o dia 31 de agosto de 2019. A curadoria será feita pelos organizadores do evento.

Os realizadores que inscreverem seus vídeos/filmes na Mostra de Cinema CINE HORROR estarão automaticamente cedendo e autorizando os direitos de exibição dos mesmos para incorporação e disposição do acervo do Festival, para exibição e veiculação sem fins comerciais em eventos de divulgação do festival, exceto em TVs, na íntegra ou parcialmente, bem como o material de divulgação, sem que para isso seja efetuado qualquer pagamento, inclusive de direitos autorais. Em caso de filme selecionado, o representante legal do filme inscrito, autoriza a exibição na programação da III Mostra de Cinema CINE HORROR, bem como a utilização de imagens para fins jornalísticos, divulgação e promoção do evento.

Toda informação presente no formulário de inscrição, além de imagens dos filmes poderão ser utilizados para divulgação no website do festival e nos veículos de comunicação. O material enviado para a inscrição passará a fazer parte do acervo da Mostra de Cinema CINE HORROR e poderá ser utilizado para atividades culturais sem fins lucrativos, em projetos de exibição popular, com o intuito de colaborar para a democratização audiovisual do cinema nacional. O festival conta com mostras e exibições mensais podendo incluir na programação qualquer um dos filmes inscritos. A programação da Mostra de Cinema CINE HORROR será definida pela direção, podendo ser estendidas em mostras itinerantes. Fotos dos filmes selecionados serão disponibilizadas para jornais, revistas e sites a fim de divulgação. Os inscritos selecionados concedem o direito de exibição do filme na programação oficial do festival e de um trecho de até 20% do tempo do filme ou o trailer, em TV, sites e em outras mídias com o objetivo de divulgar o Festival.

A Programação

Será informada após a seleção dos filmes e acontecerá entre os dias 15 e 30 de setembro de 2019, podendo a divulgação ser adiantada ou prorrogada, em Salvador, BA.

Exibição

O evento será realizado nos dias 17, 18, 19, 20, 25, 26 e 27 de outubro de 2019, com sessões iniciando às 14 horas e encerrando às 21 horas na Sala de Cinema Walter da Silveira, na Biblioteca do Estado da Bahia.

Aceite do regulamento:

A inscrição do filme neste festival incide na aceitação dos termos deste regulamento. O diretor e/ou produtor do filme inscrito é responsável, por esse aceite. No ato da inscrição, os diretores e/ou produtores dos filmes cedem os direitos de exibição para a IV Mostra de Cinema CINE HORROR. O festival tem o direito de exibir ou vetar os filmes recebidos pela Curadoria na programação oficial. A direção da IV Mostra de Cinema CINE HORROR decidirá sobre todas as questões não incluídas no presente regulamento, de acordo com as regras dos Festivais de Cinema, podendo realizar quaisquer alterações caso sejam necessárias. O festival não se responsabiliza por eventos cancelados ou alterações por motivos técnicos nos locais participantes. Todos os filmes inscritos na IV Mostra de Cinema CINE HORROR estão sujeitos às condições previstas neste regulamento e a alterações realizadas pela produção do Festival.

Val Oliveira – Curador da Mostra de Cinema CINE HORROR

Tê Rex: Spoilerfobia

AVEC Editora lança “Tê Rex” que reúne trabalho de Marcel Ibaldo e sua filha Marcelli (de 11 anos).

Graphic novel “Tê Rex: Spoilerfobia” é sucesso no financiamento coletivo. Conheça o método de trabalho de pai e filha.

Tê Rex

Tê Rex: Spoilerfobia” é uma série de tiras em quadrinhos roteirizada e idealizada pelo quadrinhista Marcel Ibaldo, com arte de sua própria filha Marcelli Ibaldo (de apenas 11 anos), e que é publicada online há pouco mais de um ano.

A “Tê Rex” é uma série de tiras em quadrinhos protagonizada por uma tiranossaura nerd que habita entre quadrinhos, livros, filmes, seriados e cultura geek, aprendendo a lidar com preconceito e dilemas comuns a pessoas não pré-históricas de hoje em dia, em uma trama ambientada na Pré-História que se assemelha demais aos dias que vivemos.

“Nesse ambiente insólito e familiar a nós, a tiranossaura do título aprende ao longo do difícil desafio que é crescer. Desse modo, além do entretenimento inerente a uma série de tiras em quadrinhos, esperamos que os questionamentos ressoem na mente de quem mergulhar nessa Pré-História nerd da ‘Tê Rex’”, explica Marcel.

O Mestre e a Pupila
Para o artista, trabalhar com quadrinhos é um processo constante de aprendizado.

“Apesar da minha trajetória com quadrinhos já incluir mais de 50 histórias publicadas, eu nunca havia trabalhado em uma obra seriada tão longa e ao longo da produção das tiras fui descobrindo a maneira mais eficiente para otimizar o processo publicando material novo semanalmente, compreendendo que apesar de as tiras precisarem funcionar individualmente (para quem lê online) elas também necessitam funcionar em conjunto criando uma obra coesa ao longo da leitura do livro”, detalha.

A ideia inicial da sério surgiu quando Marcel observava sua filha desenhando e lendo quadrinhos – ela criou suas primeiras HQs com cinco anos de idade!

“Isso me motivou a criar um projeto que aliasse os interesses dela (dinossauros, cinema, séries, rock’n roll) à produção de quadrinhos. Algo muito descompromissado, mas que evoluiu para algo muito maior, e que além de já ter conquistado um público maior do que a gente poderia imaginar, agora chega ao livro impresso nessa obra viabilizada pelos fãs no site de financiamento coletivo Catarse e publicada pela AVEC Editora”, conta o artista.

Referências não faltam em “Tê Rex: Spoilerfobia”, principalmente se tratar de uma obra centrada no mundo nerd, havendo citações a inúmeros ícones da cultura pop:

“Sendo provavelmente o mais marcante dessa primeira temporada a cinessérie de ficção científica Planeta dos Macacos, da qual nós dois somos fãs. Com certeza muita ficção científica, obras de literatura fantástica e os clássicos das tiras em quadrinhos, sendo que posso destacar Planeta dos Macacos, Jurassic Park, Senhor dos Anéis, Crônicas de Nárnia, Calvin e Haroldo, Recruta Zero, Valente, Armandinho, e muitos, muitos outros mesmo”.

Sim! Ela só tem 11 anos, mesmo!

Para Marcelli, a artista de “Tê Rex”, foram muitos desafios e aprendizados sobre como contar uma história através dos quadrinhos.

“A Tê Rex me ajudou a superar os desafios, que passam pela criação a lápis das tiras e artes originais, também o character design, além de também ter a dificuldade na arte final que no início eu errava pra caramba! Mas eu fui aprendendo e hoje estou melhor. Bem, por último eu não posso esquecer de citar a dificuldade de criar os personagens novos com espécies variadas. Por sorte, muitos livros e filmes me ajudaram e ainda me ajudam nesse processo. No fim, acabei redesenhando quase todas as tiras especialmente pro livro por perceber nessa evolução que os desenhos antigos não representavam o meu estilo atual”, com muito entusiasmo, ela explica seu processo criativo como uma artista de longa carreira.   

Entusiasmada, ela é só empolgação quando fala de uma conquista tão importante para um artista tão promissora:

“Eu pirei muito quando soube que a AVEC Editora se interessou em publicar a ‘Tê Rex’. Isso me inspira muito a continuar aprendendo e treinando para publicar novos trabalhos no futuro. Para mim é algo maluco tão jovem já estar alcançando isso e acredito que pode abrir muitas portas no futuro em uma área que eu amo tanto”, responde Marcelli.

De acordo com a dupla criativa, o processo de trabalho pai e filha foi o mais natural possível. Os dois conversavam o dia todo e passavam muito tempo assistindo os mesmo conteúdo, ou fazendo música (além de artista, a Marcelli toca bateria, teclado, ukulele, e está aprendendo violão, e o Marcel toca teclado, piano, violão, ukulele e harmônica).

“A criação da série passou a ser mais um motivo para que passemos o tempo juntos. As temáticas que trabalhamos são interesses de ambos, e desde as primeiras ideias de roteiro, passando pelo desenho e arte-final da Marcelli, e por fim as cores que ela pinta na aquarela, todo o processo acaba sendo uma diversão que encaramos com postura profissional”, detalha o pai orgulhoso.

Por isso, os desafios de criar uma série semanal são diminuídos e substituídos por momentos de descontração em que um roteiriza e o outro vai desenhando na mesa ao lado, com uma troca de ideias constante.

E para finalizar, a jovem quadrinhista deixa seu recado:

“Muita gente nos diz que tem se identificado com as temáticas que a gente mostra na série, passando por temas nerds e também dramas do dia a dia que vivemos. Do mesmo modo esperamos que vocês se identifiquem com os dilemas da série e que ela possa te inspirar e te divertir”.

O álbum “Tê Rex: Spoilerfobia” está à venda nas principais livrarias do Brasil.

Se você prefere comprar pela internet, no site da AVEC editora é possível comprar um exemplar para você. Clique AQUI para comprar online agora.

Sobre os autores

Sobre o roteirista
Marcel Ibaldo é um quadrinhista que outrora se aventurou pelo cinema trash dirigindo e atuando em curta-metragens, sendo inclusive premiado em Festival, além de ser músico integrante de várias bandas de rock ao longo de sua trajetória, pai da Marcelli, ter sido patrono de Feira do Livro e outras paradas. Integrante do coletivo Quadrinhos S.A., é autor de mais de 50 HQs publicadas, dentre elas The Choice e Brothers in Arms (parcerias respectivamente com Elton Keller e João Eddie, premiadas no concurso Silent Manga Audition, no Japão) e The Hype (em parceria com Max Andrade e vencedora no 29º Troféu HQMIX). 

Atualmente produz a série Tê Rex em parceria com a Marcelli.

Sobre a desenhista
Marcelli Ibaldo é uma jovem quadrinhista de 11 anos de idade que roteirizou o one-shot Closed Window e é responsável por desenho, arte-final e cores da série Tê Rex.
Aos oito anos de idade foi vencedora de um concurso de desenho de âmbito local, o que a motivou a dedicar mais tempo a estudar e treinar para produzir quadrinhos.
Teve trabalhos publicados anteriormente nos fanzines “Estojo Vazio” e “Palavra Faceira: Poesia em Tiras”, participação especial no livro “Sigrid: Abandonados pelos Deuses”, publicado pela Editora Jupati/Marsupial, além de publicar a série Tê Rex mensalmente na revista Action Hiken, em São Paulo.

Além disso, ocupa seu tempo lendo muito, ouvindo rock’n roll, tocando bateria, teclado, ukulele e violão, e pesquisando sobre dinossauros, claro.

Press release enviado por:
Vagner Abreu – assessor de imprensa, especialista em Marketing de conteúdo e CEO da Skalds – Comunicação e Assessoria de Imprensa Nerd. 

Short Treks disponíveis na Netflix

Short Treks

A Netflix Brasil disponibilizou os quatro curtas que foram lançados em outubro de 2018 pela CBS.

Não sabe o que são os Short Treks? Veja aqui

É um ótimo jeito de comemorar o #enterpriseday. Lembrando que amanhã, 18/1, estreia a nova temporada de Star Trek Discovery na Netflix.

VLP

Born Cartolla

Nova graphic novel da AVEC leva o leitor a reflexões sobre seu lugar no mundo, ao mesmo tempo que diverte com cenas de ação e duelos mortais.


O trabalho do estreante Levi Tonin mistura mangá de fantasia e aventura com leitura no sentido ocidental.

Entre os primeiros lançamentos da AVEC Editora em 2019, a graphic novel “Born Cartolla” de Levi Tonin (arte e roteiro) traz a seguinte trama: Galla Cartolla é uma misteriosa viajante mágica, cuja bagagem é apenas o chapéu. Perdida em trilhas mundo a fora, sua jornada se vê em um ponto crucial ao encontrar Terry MAC Éan, um garoto cego, vítima da mais temida criatura mágica, a Sombra absurda. 

Com seu sangue mágico a jovem cura Terry, trazendo sua visão de volta. Prometendo apresentar os mais diversos lugares pelo mundo, ambos partem numa breve viagem, mas que alterará todo o equilíbrio do mundo mágico. 

Amarrada a grandes decisões, influenciada por anseios insondáveis, a Cartolla reacende ao universo viajante para evitar seu declínio total, enquanto Terry, vislumbrando o novo mundo, deseja abandonar a forma humana, se tornando viajante. Criaturas misteriosas, organizações revolucionárias mágicas, chapéus milagrosos, tudo vale no mundo mágico de Born Cartolla onde só o inimaginável tem vez.

Uma História Sobre Se Perder E Se Encontrar

Conforme definição do próprio autor, Levi Tonin, Born Cartolla é um mangá de fantasia e aventura com leitura no sentido ocidental.  Através da união entre o estilo oriental e a comunicação ocidental, Levi conta uma história sobre como é simples se perder e se encontrar dentro do mundo. E sobre como as escolhas que parecem difíceis requerem coragem e obstinação.

“Meu processo de criação começa a partir de coisas externas a mim, inspiração vinda de outros materiais. Para Born, muito no começo, cerca de seis anos atrás, fui inspirado pelos filmes do Harry Potter. Posteriormente, li Hellboy e assisti o anime Mushishi, esses materiais impulsionaram minha criatividade a ponto de dar início ao projeto. Sempre tive momentos que ficava mais sensível a inspiração, muitas vezes bastava uma frase para desencadear uma nova rodada de criações, dali em diante escrevia e desenhava novos roteiros, assim criando novas possibilidades”, conta Levi.

Born Cartolla é uma obra que leva o leitor a reflexões ao mesmo tempo que o faz se divertir com muita ação desenfreada.

“[Born Cartolla] vai bem profundo na mente de cada personagem. Como o mundo mágico é abrangente, há momentos que a história vai para lugares inimagináveis. Mas com certeza a maior virtude de Born Cartolla é a possibilidade de se surpreender com a leitura, de poder usar sua própria criatividade para entender como a história se desenvolve, e para os leitores mais imaginativos, de mergulhar nesse mundo e realmente entender os pilares que o sustentam. Espero que gostem de encontrar mundos novos em páginas de quadrinhos, e que se encontrem nessas páginas assim como os personagens que nelas habitam”, adianta o autor.

Born Cartolla está à venda nas principais livrarias do Brasil. Assim como na loja física da AVEC editora. Você pode comprar o seu exemplar, clicando neste link AQUI.

Press release enviado por:
Vagner Abreu é assessor de imprensa, especialista em Marketing de conteúdo e CEO da Skalds – Comunicação e Assessoria de Imprensa Nerd. 

Próximas estreias

Vidro – 17/1
Sinopse: O segurança David Dunn usa suas habilidades sobrenaturais para rastrear Kevin Wendell Crumb, um homem perturbado com vinte e quatro personalidades diferentes.
Vidro conecta as histórias de Corpo Fechado e Fragmentado.

imdb

A Sereia – Lago dos Mortos – 31/1
Sinopse: Uma sereia má se apaixona por Roman, noivo de Marina, e tenta mantê-lo longe dela em seu reino submerso. Marina terá apenas uma semana para superar seu medo do mar e permanecer humana na luta mortal contra os monstros.

As datas estão sujeitas a alteração sem aviso prévio.