A Mata Negra

A Mata Negra é um filme nacional do gênero terror sobrenatural de 2018. É dirigido e roteirizado por Rodrigo Aragão e tem Carol Aragão no papel principal e atuações de Jackson Antunes e Clarissa Pinheiro. Sinopse Clara passa por uma terrível mudança em sua vida quando encontra o Livro Perdido de Cipriano, em que a Magia Sombria, além conceder poder e riqueza a quem o possui, é capaz de soltar um terrível mal sobre a Terra. Confesso que não esperava muito desse filme, mas me diverti bastante com as atuações e com os efeitos especiais. Certamente ao assistir será inevitável fazer comparações com as obras estrangeiras consagradas do gênero. Mata Negra traz o terror sobrenatural com gore e trash. Talvez esses elementos o façam ser uma obra subestimada pelo público que imagina ser somente mais do mesmo. Pra mim, foi uma mistura de vários filmes que já vi, mas achei… Continue lendo

Skull: A Máscara de Anhangá

O filme brasileiro de 2020 que mistura terror e tem um toque de  slasher e gore é dirigido por Armando Fonseca e Kapel Furman e é estrelado por Natalia Rodrigues, Ricardo Gelli, Ivo Müller e Wilton Andrade. A trama acompanha Manco Ramirez, o guardião da máscara de Anhangá, uma relíquia arqueológica que estava desaparecida e reaparece em São Paulo. Apesar de não ter nenhuma novidade extraordinária, não deixa de ser uma ótima diversão e não deve nada aos filmes do gênero slasher estrangeiros. O filme venceu alguns prêmios nacionais e internacionais nas categorias: melhor atriz, melhor direção de arte, melhor direção e melhores efeitos especiais. Skull: a Máscara de Anhangá está disponível no @primevideobr

ScifiBrasil 20 anos

#TBT do #SciFiBrasil Em agosto de 2021 o ScifiBrasil completou 20 anos de existência. A ideia era ser uma página/grupo para debater #scifi e outros assuntos. Eu queria deixar todos os eventos em um só lugar, pois os eventos estavam se tornando bastante frequentes e eu queria participar de todos. Criei a newsletter no finado YahooGroups. O Orkut, o Facebook e o Whatsapp ainda não existiam, que dirá nossos amados streamings. Claro que sempre havia um jeitinho de ver filmes ou episódios inéditos, mas muita coisa a gente ficava sabendo só nos encontros. E os amigos encontrávamos nos eventos presenciais. A primeira mensagem do SciFiBrasil foi postada em 10/8/2001; a lista se chamava Ufiction Report e também informava eventos de ufologia. Tinha até logo estilizado! Hoje o ScifiBrasil utiliza as redes sociais para divulgar #ficçãocientífica, #fantasia, #terror e assuntos relacionados, tanto em literatura, filmes e outros. E seguimos…vida longa e… Continue lendo

O Orfanato

Laura passou parte de sua infância num orfanato. Trinta anos depois, ela comprou o velho prédio e mudou-se com o seu marido, Carlos, e o seu filho Simon, a fim de instalar ali um lar-abrigo para crianças deficientes. Mas a nova casa desperta a imaginação de Simon e o menino começa a contar um emaranhado de histórias fantásticas e brincadeiras que começam a perturbar Laura. Diferente dos filmes de terror típicos, com muitos jumpscares, O Orfanato (2007) é mais um drama com elementos de terror sobrenatural muito bem conduzido. Apesar de não ser uma produção americana, tem 87% de aprovação no Rotten Tomatoes. Dirigido por J.A. Bayona, tem produção de Guillermo del Toro. O Orfanato está disponível na Netflix.

Curso online STAR TREK: 55 ANOS DE UTOPIA E CRÍTICA SOCIAL

Star Trek é um fenômeno da cultura pop que cativa legiões de fãs há mais de cinco décadas. Ao longo de todo esse tempo, muito além do que seria apenas um programa genérico de ficção científica, Star Trek propôs reflexões sobre diversos problemas sociais. Através da representação de uma sociedade utópica, personificada na instituição conhecida como Federação Unida de Planetas, aprendemos que o mundo visto em Star Trek superou a pobreza e a sociedade de classes, tornando-se uma sociedade pós-capitalista na qual acredita-se que “a acumulação de riqueza já não é mais a força motriz da vida”, nas palavras do personagem Jean-Luc Picard. A utopia de Star Trek é uma aposta na capacidade humana de evoluir e superar suas contradições históricas. Objetivo O Curso online Star Trek: 55 Anos de Utopia e Crítica Social, ministrado por Eduardo Pacheco Freitas, vai propor uma discussão sobre as representações dos ideais utópicos de… Continue lendo

O sacrifício do cervo sagrado

O Sacrifício do Cervo Sagrado é um filme de 2017, dirigido por Yorgos Lanthimos. Estrelado por Colin Farrel, Nicole Kidman e Barry Keoghan; conta com a participação especial de Alicia Silverstone, o filme é baseado na tragédia grega de Ifigênia. O filme conta a história da família Murphy, que é abalada após conhecer Martin, filho de um ex-paciente de Steven Murphy (Collin Farrel). Eventos dramáticos vão deteriorando as relações familiares até seu total colapso. É um filme onde se nota a tensão crescente e a quebra das frágeis relações familiares, assim como situações perturbadoras são apresentadas do começo ao fim. Para quem está acostumado com filmes de terror padrão, com muitos sustos e com bizarrices explícitas, talvez esse filme não agrade muito. O filme está disponível no Primevideo. Já assistiu esse filme? Qual a sua opinião?…Comenta!

IO o último na Terra

IO (2019) é um drama de ficção científica que conta a história de Sam, uma das últimas pessoas no planeta Terra. O planeta sucumbiu e os humanos tiveram que procurar outro lugar para viver. Na lua vulcânica de Júpiter, Io. Sam é filha de um cientista que estava tentando salvar o planeta da destruição total. E ela não desiste de tentar achar algo para comprovar o trabalho do pai. Um dia, um estranho pousa perto da casa de Sam e tenta convencê-la a embarcar na última nave rumo a Io. IO é um filme intimista e bem calmo e valeu a pena ter assistido. Infelizmente a pontuação dele é abaixo dos 40% no Rottentomatoes, mas isso não impede de assistir e, quem sabe, até gostar. O filme é estrelado por Margaret Qualley e Anthony Mackie e está disponível na Netflix. Já conhecida esse filme? O que achou? Conta nos comentários.

Mandy: sede de vingança

    Mandy, de 2018, é um filme protagonizado por Nicholas Cage e dirigido por Panos Cosmatos. O filme mistura diversos elementos como: amor, ódio, vingança, sadismo e até um pouco de terror sobrenatural. Não é um filme para qualquer espectador, mesmo os cinéfilos de plantão podem achá-lo um pouco diferente. A direção do filme é muito bem elaborada com uma mistura de cores que ditam os momentos e sentimentos dos personagens. O filme traz referências de filmes como: Sexta-feira 13, o Massacre da Serra Elétrica e Hellraiser. Mandy é um filme com potencial para ser cult. Além do visual diferenciado, a trilha sonora é marcante. O filme valeu o prêmio Fangoria Chainsaw para Nicolas Cage, o diretor Panos Cosmatos e o compositor Jóhann Jóhannsson. Mandy: sede de vingança estará na Netflix até 14 de junho. Já viu o filme? Comenta o que achou.